17 de julho de 2013
POUSADA DO TOQUE – SÃO MIGUEL DOS MILAGRES (AL)

São Miguel dos Milagres é um lugar de difícil acesso, apesar de estar relativamente próximo a Maceió. São apenas 120Km, mas montam um jornada de quase 3hs pra chegar até lá. O acesso é difícil sim, mas chegando lá você vai entender porque vale a pena cada minuto deste trajeto. São praias remotas e tranquilas de águas verdes cercadas por um recife de corais relativamente próximo das areias e assim formam lindas piscinas naturais com as marés baixas. Neste local maravilho há a belíssima Pousada do Toque. Um lugar decorado com muito bom gosto que possui 17 chalés muito bem montados e que, acima de tudo, oferece um serviço exemplar. Além de descansar o corpo, a mente, e os olhos ainda vai se sentir como um rei pelo tratamento oferecido nesta pousada. Um serviço de muita atenção, discreto e bastante personalizado. Único, entre as viagens que já fiz por ai.
E como não podia deixar de ser, a gastronomia é maravilhosa. Baseada no mar e nas comidas do nordeste, montaram um cardápio bastante regional com a cara da pousada, que esbanja bom gosto e frescor. Tratam a cozinha também de forma bastante pessoal, já que não se prendem ao cardápio para atender aos seus hóspedes. Uma vez por lá, não se acanhe em pedir mudanças nos pratos.
Me hospedei ali por apenas 3 dias e foram suficientes para constatar as boas coisas oferecidas pela gastronomia da pousada e também para entender que os 3 dias foram muito poucos. Quero voltar!!!
 

 

Na primeira noite, me entreguei ao polvo. Uma panelada de arroz de polvo que me encheu os olhos e a barriga. O polvo saboroso e bastante fresco acompanhado por um arroz tradicional bem solto formaram um prato bem leve na boca, porém intenso no nariz. Os aromas do polvo assim como dos temperos utilizados eram maravilhosos e podiam ser sentidos à distância. A harmonização foi feita com um Nero D’Avola Fantascia 2010. Um vinho denso e compacto com aromas de framboesa e toques de cassis. Um vinho ainda muito novo, mas com a cara da Sicília.
 

 

Na segunda noite o jantar foi japonês. A Pousada possui um restaurante temático para esta culinária e domina esta arte muito bem. Um combinado bastante saboroso e livre de quantidades limitadas. Neste caso pedi saque para acompanhar este jantar. Resolvi seguir a tradição nipônica.
 
Por fim veio a terceira e última noite. Após algumas conversas com o pessoal da casa, resolvi escuta-los e pedi por um prato tradicional da pousada. O prato era: Panela de Ferro. Frutos do mar sobre uma base de cebolas e batatas numa panela de ferro. Muito bom! Bastante fresco e saboroso. Me fez entender porque é um dos pratos indicados pelo chef. Ja nesta noite optei por um Muros Antigos 2008. Um português branco, ou melhor, verde, para harmonizar com o prato, que com esta base de batatas e cebola me fez entender que seria uma boa harmonização. De fato, foi uma boa escolha. Um vinho de bastante frescor com forte presença do limão siciliano no aroma e também no palato. 
 
 
 
Pena que foram só 3 dias. Devo destacar também o café da manhã. Foram 3 manhas maravilhas e de muita comilança  Preparam o café da manha bastante personalizado, como tudo que se faz por aqui, e sem horário definido. Começa às 7hs e vai até a hora que vc quiser. Otimo!!! A geléia de goiaba, o pão caseiro de azeite e o escondidinho de ovo foram os destaques.