27 de setembro de 2015
9º PALADAR – COZINHA DO BRASIL
Categorias: Food, Gastronomia

 

Paladar pratos & rolhas

 

Chef Raffaelle Mostaccioli – Focaccias Brasileiras

Focaccias com raízes brasileiras, da massa à cobertura. Incríveis pães de forma achatada usando produtos surpreendentes. Aqui as focaccias foram de mandioquinha com queijo curado e de mandioca com quiabo.

Paladar pratos & rolhas

 

Chef Roberto Smeraldi – O Vinho como Ingrediente

Como escolher o vinho para cada tipo de receita e as técnicas para marinar, lavar, brasear, reduzir, conservar, deglassar. Assimilar os truques e avaliar os resultados para entender por que o bom.

 

Chef Carole Crema – Os Sonhos Mais Lindos

O sonho anda conquistando espaço e a doceira Carole Crema mostrou como variar a receita. Diferentes modos de preparar o doce, usando frutas e outros ingredientes cheios de brasilidade.

Paladar pratos & rolhas

 




11 de julho de 2015
2011 DUCKHORN NAPA VALLEY CABERNET SAUVIGNON

 

 

DUCKHORN

 

 

A vinícola Duckhorn vem produzindo Cabernet Sauvignon desde 1978. Este vinho incorpora em seu aroma toda a complexidade dos Napa Valley e traz um bom balanceamento ente o frutado, o carvalho e os taninos. Groselha, cereja, ameixa e tabaco, que são clássicos no Cabernet Sauvignon, estão presente neste vinho que ainda traz um toque spicy. Bem intenso. Na boca é bastante encorpado e persistente. Particularmente, além da harmonia com os aromas senti a presença de carambola e physalis. Também há um toque de cedro.

Produção:
85% Cabernet Sauvignon, 10% Merlot, 2% Malbec, 2% Cabernet Franc, 1% Petit Verdot. Envelhecido 16 meses em carvalho francês, sendo 30% novo e 70% de segunda safra.




4 de julho de 2015
TWO HANDS BELLA’S GARDEN SHIRAZ 2007

Praça São Lourenço

Classificado como o #14 no Top 100 de 2009 pela Wine Spectator este 100% Shiraz de Barossa Valley é maduro e bastante encorpado. Evoluiu progressivamente da abertura até o final. Intensamente perfumado com aromas de amora, ameixa, blueberry, anis e toques de chocolate. Também trouxe aromas terrosos, algo como terra, floresta… Bastante complexo no nariz.
No palato é rico em frutas vermelhas com toques de alcaçuz. Spicy também. Possui taninos maduros e traz um carvalho elegante. Bem balanceado com final persistente.
As “two hands” são de Michael Twelfetree e Richard Mintz, proprietários fundadores. O vinho recebeu este nome após o nascimento da filha de Richard Mintz, que se chama Bella, em 28 de julho de 2002.




23 de maio de 2015
DOUBLEBACK 2009 – WALLA WALLA

pratos & rolhas

 

Confesso que eu sempre soube muito pouco sobre Walla Walla, mas há 2 anos quando estive em Bordeaux conheci um enólogo aparentado com os proprietários do Petrus e herdeiro do Chateau Guadet que me disse sobre esta região. Ele disse que Walla Walla produzia um dos melhores cabernets do mundo. Fiquei intrigado com este comentário, já que estávamos no berço do cabernet sauvignon e assim a minha curiosidade por encontrar e degustar um cabernet de Walla Walla passou a ser enorme. Enfim o encontrei!!!

No nariz é intense e complexo. É floral, com presença de frutas vermelhas e negras, cassis, canela e chocolate. No palato, é uma vinho viscoso, aveludado e bastante frutado. Taninos presentes, mas bem sedosos. Um vinho estruturado. Composto por 76% de Cabernet Sauvignon, 16% de Merlot e 10% de Petit Verdot e é envelhecido 20 meses em carvalho francês.

Doubleback representa a colaboração de 2 amigos da região: Drew Bledsoe, que foi o quarterback do New England Patriots, e seu amigo de infância e enólogo Gary Figgins, que juntos tocam a vinícola no Walla Walla Valley.

 

O Walla Walla Valley (AVA) está localizada no estado de Washington que se estende parcialmente no Oregon (1/3 da área). Este vale está inteiramente incluído no Columbia Valley (AVA). É a segundo área com maior concentração de vinícolas de Washington, ficando atrás somente do Yakima Valley (AVA).

É um vale com um solo argiloso que recebe pouca chuva durante o ano, sendo a irrigação um processo fundamental na vinicultura. Esta área é caracterizada por dias quentes e noites frias. A brisa que a parreiras recebem vem das Blue Mountains, que fica presa entre os rios Snake e Columbia. O reconhecimento oficial se deu 1984 quando o governo federal reconheu Walla Walla Valley com um American Viticultural Area (AVA).

Cabernet Sauvignon é a uva predominante nesta área, seguida por Merlot, Syrah, Sangiovese e Cabernet Franc.

 




28 de março de 2015
DEGUSTAÇÃO – PORTUGAL, BRASIL E ALEMANHA

IMG_9246

PERA MANCA BRANCO 2012

O Pêra-Manca branco foi produzido pela primeira vez em 1990 e é a marca que a Adega Cartuxa destina aos seus vinhos especiais. Produzido a partir de uma seleção das castas Antão Vaz e Arinto. A safra 2012 tem aroma frutado com notas minerais e de mel. Bastante frescor e boa acidez com um final persistente. Sempre uma boa opção!

 

COLLECTOR BLANC DE NOIR 2013

Este espumante de Campos de Cima da Serra com 100% de Pinot Noir é uma grata surpresa. Elegante na perlage e de ótima acidez. No nariz aromas de amêndoas e de fermento. No boca tem frescor e também um final mineral persistente. Harmônica e bem balanceada. Uma ótima opção! Orgulho do nosso Brasil e da enóloga Paula Guerra Schenato.

 

WEINHOF SCHEU PINOT NOIR 2009

Spätburgunder (SHPAYT-bur-GUHN-der). Este e o nome para o pinot noir alemão. Mas, a verdade é que a maioria das pessoas se quer sabe que a Alemanha produz vinhos tintos e muito mesmo que produz Pinot Noir. De fato, é muito difícil acha-los nas wine shops e são muito pouco divulgados. Mesmos em restaurantes alemães eles são raros, mas a realidade é que os spätburgunders existem e são de boa qualidade. O WEINHOF SCHEU PINOT NOIR 2009 é um vinho de média intensidade com aroma floral, de cereja e um pouco terroso. Na boca a presença de frutas vermelhas, cereja e toques minerais. De médio corpo com tatinos leves. Vale a experiência de degustar um spätburgunder.