23 de agosto de 2015
CASTELLO DI BROLIO BARONE RICASOLI 2006

 

Chianti pratos & Rolhas

 

Aroma intenso de amora e cereja com toques florais e de baunilha. Na boca é harmônico e no final traz um toque de anis. Bem balanceado e encorpado. Em 2009 foi pontuado com 96 pts pela Wine Spectator e ainda foi eleito o 5º melhor vinho entre os Top 100 classificados para aquele ano.  Um Chianti clássico altamente recomendado.




16 de agosto de 2015
GRANDES VINHOS ARGENTINOS

 

 

Top argentina pratos & rolhas

Degustação de grandes argentinos com harmonização do nosso amigo e amante da gastronomia Carlos Pappini. A classificação, segundo os 8 apreciadores que estavam presentes, foi:

1º LUGAR – BRESSIA CONJURO 2009: 50% Malbec, 30% Cabernet Sauvignon e 20% Merlot Bressia pratos & rolhasenvelhecido 18 meses em carvalho francês. Elegante com aromas intensos. Frutado no nariz e harmônico no palato. Muito bem balanceado, potente e encorpado. Final longo. Um vinho pronto. A Bressia Winery teve o seu início em 2003, juntamente com a esposa e filhos, Walter Bressia começou uma empresa familiar sob o conceito de “Family Wines”, que foi o resultado de uma longa experiência e trajetória como produtor, já que Bressia trabalhou para Nieto Senetiner, Vistalba e Viniterra antes da empreitada da sua própria vinícola.

2º LUGAR – ACHAVAL FERRER FINCA ALTAMIRA 2009: o vinho sul americano mais pontuado de Achaval Ferrer pratos & rolhastodos os tempos. Conseguiu 99 pts de Parker. Sua produção vem de vinhedos com + de 80 anos. Este 100% Malbec tem aroma intenso e complexo. Presença de amora, ameixa, violeta, casais e couro. Aveludado na boca com boa acidez e taninos refinados. Persistente. A produção de uma garrafa deste vinho requer o suco de 3 videiras, já que trata-se de uma baixa produtividade controlada. Potencial de guarda de 20 anos.

3º LUGAR – LAS PERDICES TINAMÚ 2009: Malbec (60%), Cabernet Franc (25%), Petit Verdot (10%) e Tannat (5%), sendo 24 meses em barricas de carvalho (70% carvalho francês e 30 % carvalho americano). No nariz é intenso, com aromas de geleia de frutas, chocolate, tabaco e anis. Em boca é encorpado, tânico, mas com equilibrio.




11 de julho de 2015
2011 DUCKHORN NAPA VALLEY CABERNET SAUVIGNON

 

 

DUCKHORN

 

 

A vinícola Duckhorn vem produzindo Cabernet Sauvignon desde 1978. Este vinho incorpora em seu aroma toda a complexidade dos Napa Valley e traz um bom balanceamento ente o frutado, o carvalho e os taninos. Groselha, cereja, ameixa e tabaco, que são clássicos no Cabernet Sauvignon, estão presente neste vinho que ainda traz um toque spicy. Bem intenso. Na boca é bastante encorpado e persistente. Particularmente, além da harmonia com os aromas senti a presença de carambola e physalis. Também há um toque de cedro.

Produção:
85% Cabernet Sauvignon, 10% Merlot, 2% Malbec, 2% Cabernet Franc, 1% Petit Verdot. Envelhecido 16 meses em carvalho francês, sendo 30% novo e 70% de segunda safra.




4 de julho de 2015
TWO HANDS BELLA’S GARDEN SHIRAZ 2007

Praça São Lourenço

Classificado como o #14 no Top 100 de 2009 pela Wine Spectator este 100% Shiraz de Barossa Valley é maduro e bastante encorpado. Evoluiu progressivamente da abertura até o final. Intensamente perfumado com aromas de amora, ameixa, blueberry, anis e toques de chocolate. Também trouxe aromas terrosos, algo como terra, floresta… Bastante complexo no nariz.
No palato é rico em frutas vermelhas com toques de alcaçuz. Spicy também. Possui taninos maduros e traz um carvalho elegante. Bem balanceado com final persistente.
As “two hands” são de Michael Twelfetree e Richard Mintz, proprietários fundadores. O vinho recebeu este nome após o nascimento da filha de Richard Mintz, que se chama Bella, em 28 de julho de 2002.




23 de maio de 2015
DOUBLEBACK 2009 – WALLA WALLA

pratos & rolhas

 

Confesso que eu sempre soube muito pouco sobre Walla Walla, mas há 2 anos quando estive em Bordeaux conheci um enólogo aparentado com os proprietários do Petrus e herdeiro do Chateau Guadet que me disse sobre esta região. Ele disse que Walla Walla produzia um dos melhores cabernets do mundo. Fiquei intrigado com este comentário, já que estávamos no berço do cabernet sauvignon e assim a minha curiosidade por encontrar e degustar um cabernet de Walla Walla passou a ser enorme. Enfim o encontrei!!!

No nariz é intense e complexo. É floral, com presença de frutas vermelhas e negras, cassis, canela e chocolate. No palato, é uma vinho viscoso, aveludado e bastante frutado. Taninos presentes, mas bem sedosos. Um vinho estruturado. Composto por 76% de Cabernet Sauvignon, 16% de Merlot e 10% de Petit Verdot e é envelhecido 20 meses em carvalho francês.

Doubleback representa a colaboração de 2 amigos da região: Drew Bledsoe, que foi o quarterback do New England Patriots, e seu amigo de infância e enólogo Gary Figgins, que juntos tocam a vinícola no Walla Walla Valley.

 

O Walla Walla Valley (AVA) está localizada no estado de Washington que se estende parcialmente no Oregon (1/3 da área). Este vale está inteiramente incluído no Columbia Valley (AVA). É a segundo área com maior concentração de vinícolas de Washington, ficando atrás somente do Yakima Valley (AVA).

É um vale com um solo argiloso que recebe pouca chuva durante o ano, sendo a irrigação um processo fundamental na vinicultura. Esta área é caracterizada por dias quentes e noites frias. A brisa que a parreiras recebem vem das Blue Mountains, que fica presa entre os rios Snake e Columbia. O reconhecimento oficial se deu 1984 quando o governo federal reconheu Walla Walla Valley com um American Viticultural Area (AVA).

Cabernet Sauvignon é a uva predominante nesta área, seguida por Merlot, Syrah, Sangiovese e Cabernet Franc.