3 de julho de 2013
CLOS HAUT-PAYRAGUEY – SAUTERNES

Uma visita à região de Sauternes era uma vontade que já se arrastava entre os meus planos há alguma tempo. E um dia este plano se realizou e assim  pude constatar com os meus próprios olhos o quanto esta região é simpática e maravilhosa, além de produzir vinhos excelentes, é claro. Entre as varias opções de visitas que existe na região, tinha em mente algo diferente dos sempre famosos e preferidos Château D’Yquem (Sauternes) e Château Climens (Barsac), mas que fosse também um Premier Cru Classé. Neste pensamento, a escolha foi pelo Clos Haut Parayguey, inclusive indicado pelo próprio Château Climens através da Alexandra Lemahieu, e que é vizinho do Château D’Yquem.

E foi uma ótima indicação!!! Foi pra mim um visita inesquecível. Local charmoso com pessoas muita atenciosas. Sem falar do vinho, que possui sabores e aromas fantásticos. Fui atendido pelo senhor André Praderie, chargé de visites, do local. Este senhor é de uma simpatia indescritível e de um conhecimento impar. Explicou tudo do começo ao fim sem poupar detalhes, inclusive a degustação no final, entre 4 safras diferentes. Todas maravilhosas.

Vinhos elegantes de grande frescor com a mineralizada que é característica da região. Encorpados e bastante intensos tanto nos aromas como nos sabores. Persistentes e longos. A presença de aromas e sabores cítricos é bem identificado nestes vinhos assim como o tradicional final doce na boca. Toques de abricot também são presentes estes vinhos.

 

Uma visita que me trouxe experiências únicas e que valeu a pena cada minuto. Recomendo fortemente a visita ao Clos Haut-Perayguei, se tiverem a oportunidade, bem como a degustação dos vinhos produzidos por eles. Justificam a classificação de Premier Cru Classé de Sauternes.

 




15 de junho de 2013
RESTAURANT CLAUDE DARROZE – LANGON

Salterne e Barsac guardam muitas surpresas e entre elas está o restaurante Claude Darroze. Talvez seja o restaurante mais requintando da região. Local de almoço para quem opta pelo Tour Privilège na região, que entre as visitas ao Château Climens e ao Château D’Yquem param para almoçar neste local. O Claude Darroze fica na cidade de Langon, em Barsac, no altigo correio da cidade (5 cours du General LeClerc, 33210 Le Langon – 05 56 63 00 48) . Uma pequena e simpática cidade próxima ao Gironde com pouco mais de 2.000 habitantes e apenas 30 minutos de Bordeaux. Este restaurante é bastante conceituado, premiado e estrelado com 1 estrela Michelan. Decorado com um estilo singular. A gastronomia é tradicional do sudoeste da França.

Entradas Fantásticas!

Pratos Maravilhosos!

A melhor tábua de queijo de já vi e degustei em toda a minha vida!

De fato um grande restaurante e sem dúvida está entre os grandes restaurantes que já tive o prazer de estar. Uma experiência inesquecível. Pratos bastante elaborados com combinações perfeitas são um marco neste restaurante de charme discreto. Oferece também uma carta de vinho de grande diversidade que chega a 600 rótulos. O local possui uma terraço com mesas entre as árvores que realmente monta uma ambiente muito agradável. Em dias de calor é uma opção a ser considerada, sem dúvidas.

Não posso deixar de citar a grande opção de vinho que fiz para harmonizar os grandes pratos deste restaurante. De fato, uma grande opção: Château Carbonnieux Pessac Leognan 2009, um Grand Cru Classé de Graves. Um vinho bastante maduro com estilo amplo. Aromas e sabores amanteigados com notas de amêndoas. Há também presença de sabor cítrico e toques de pêssego. Um vinho de grande frescor do início ao fim.




13 de junho de 2013
MAX BORDEAUX – VENDING WINE

O futuro da degustação dos vinhos é nos apresentado no Max Bordeaux. Você comanda a sua própria degustação comprando um tasting card e com certeza irá se perder no meio de tantas boas opções. Eu sei que atualmente é bastante usual encontramos degustações de vinhos através de cartões de consumo em maquinas que dispensam doses, mas aqui o que faz a diferença é o roll de opções. Estão dispostas garrafas para serem vendidas em doses de 25, 50 ou 75 ml vinhos desejados por todo o mundo e de difícil acesso pelo seus preços bastante altos. Estamos falando aqui de vinhos Premier Cru da classificação de 1885. Os próprios! Lafite, Latour Margaux, Haut-Brion e Mouton.  

 

Teto de Taças

 

Uma verdadeira oportunidade aos amantes da bebida de Baco. Mas as opções não param por ai. Há muitas outras grandes opções. Há muitas outras grandes opções.
Insira o seu cartão em máquinas enomatic vending machine, faça a sua opçõe, escolha o tamalho da dose, coloque a sua taça de baixo do bico dispensador e voilè: virá diretamente para voce um grande vinho de uma grande safra em temperatura ideal e livre de super oxigenação.
A Max Bordeaux (http://www.maxbordeaux.com) é realmente uma Wine Gallery que não pode faltar na rota dos amantes de vinhos que passam por Bordeaux. Em especial pela oportunidade que ele representa. De fácil acesso bem no coração da cidade (14, cours de l’Intendance; 33-5-57-29-23-81), a casa é agradável, acessível financeiramente e original pela suas ofertas e também pelo seu teto de taças.
 
Vou deixar por aqui também um pouco da experiência que tive por lá:
 
Château Margaux 2006Poderoso e rico. Fantástico! Um grande vinho. Com muito corpo e muito bem estruturado. É bastante mineral nos sabores e aromas e o tradicional café, que é presente em vinhos desta regiao, não falta aqui. É um vinho de grande delicadeza como um Bordeax deve ser e percebemos isto já no nariz. Acrescento ainda, em especial aos brasileiros, toques de carambola em seu aroma.
 
Château Haut-Brion 2004Grande presença de flores nos aromas, que ainda destaca a groselha e toques minerais. Um vinho refinado de médio corpo. Persistente na boca e bastante intenso no nariz. Uma jóia de Bordeaux
 
 
Pavillon Rouge 2005Amaixa é a primeira impressão, que segue com aromas de flores e também toques de pimenta no final. Encorpado e refinado. Harmonico. Os taninos são presentes, mas delicados.
Château Latour 2004Complexo! Aromas de groselha, leve no alcaçuz, pimenta no final e ainda toques de tabaco. Talvez um chocolate tambem. Encorpado com tatinos leves e ainda bastante persistente tanto no aromas quantos nos sabores. A intensidade deste vinho no nariz é impressionante. Grande vinho!
 
Château Mouton Rothschild 2003Aromas complexos destacando-se amoras e tabaco. Há uma presença cítrica como no Margaux. E não para por ai: a evolução ainda traz toques de groselha. Encorpado e de grande estrutura. Nos sabores as frutas vermelhas são o destaque. Há presença taninos, mas bem maduros. Um vinho complexo e longo tanto no nariz como na boca.
 
Angelus 2007Intenso!  Amoras e café constituem os aromas e sabores de vinho, que é bastante harmônico. Vinho de bastante corpo taninos austeros. O carvalho francês deixa a sua marca aqui. Os aromas e sabores amadeirado são presentes. Neste caso achei o vinho ainda jovem com grande perspectivas de evolução.
Tiveram outras experiencias entre estas, mas preferi os destaque aqui descritos. Inclusive de um D’yquem, mas que não brilhou, pelo menos a mim,  neste dia. Talvez tenha sido somente o dia. Mas imagino que a pergunta que fica de vocês pra mim é: E a conclusão? E o vencedor? Bastante difícil opinar entre estes grande vinhos, mas posso dizer que a conclusão é de que de fato são vinhos que valem a pena a experiência de degusta-los e se fosse necessário escolher o campeão escolheria o Château Margaux 2006. Fantástico!
 



8 de junho de 2013
PLACE DU PARLEMENT – BORDEAUX

Apreciar um bom prato e um bom vinho na Place du Parlament é um programa que não pode faltar a quem passa por Bordeaux. O local forma um quadrado rodeado de restaurantes e com muita gente bonita por ali. As mesas nas caçadas dão o charme necessário ao local e forma o verdadeiro ambiente francês. As mesas são bastante disputadas, mas pressa é algo que não se deve ter por ali. Tome o tempo necessário para viver este quadrado. Degustar um bom vinho ou champagne na calçada enquanto muita gente passa pra lá e cá é algo que nos deixa sem ver o tempo passar.
Fiz a opção pelo Chez Jean (1 Place du Parlement – Tél. 05 56 44 44 43), mas outra boa opção é o L’Autre Petit Bois (12 Place du Parlement; 33 5 56 48 02 93), um wine bar reconhecido entre os degustadores de vinho.
O Chez Jean está entre os bons restaurantes de Bordeaux. É um local bastante agradável, com gente agradável e serviço muito bom. A boa cozinha do Chez Jean associada a descontração do local em que ele está situado compõem um harmonia completa. 
O mardré de foi gras aux asperges vertes, chutney é uma ótima escolha. O adocicado do chutney realmente contribui bastante para este prato, mas o Croustillants de chèvre aux noix en salade, julienne de pommes verte, vinaigrette au miel não deixa nada a desejar. Esta composição deve ter sido criada num dia inspirado do Chef. O menu “Selection de Jean” sai por 25,90 euros, mas durante o dia é possível encontrar menus a 17,90 euros.
Como dica do local a Place du Parlement fica exatamente atrás da famosa Place de la Bourse.

 




7 de junho de 2013
LA TUPINA À BORDEAUX

Sem dúvida, o La Tupina (http://www.latupina.com) é um dos pontos gastronômicos de Bordeaux. Se orgulha da gastronomia heritage promovendo as delícias da região com grande convicção. Possui um dos mais talentos Chefs de Bordeaux, inclusive referenciado pelos demais Chefs locais que o mencionam no livro recém lançado pela Phaidon “Where Chefs Eat” como um dos pontos gastronômicos de Bordeaux preferido pelos próprios Chefs.
É de grande destaque a sua originalidade, expondo a sua cozinha suportada por uma grande lareira de onde saem as carnes, molhos e caldos da casa preparados ali mesmo à frente dos clientes.

20130811-024115.jpg

A minha experiência no La Tupina foi iniciada numa Soupe de Petit Pois au Jambom que comi como entrada. Uma sopa bastante encorpada e de grande harmonização com o jambom crispy que é parte do prato assim como do creme que vem por cima, aliás creme sempre é especialidade dos franceses.

20130811-024744.jpg

Seguindo adiante o prato principal foi um Le Porc Noir des Pyrénées, ou The Black Pig, em inglês. Este suíno é bastante suculento e tem um sabor único. É uma raça produzida rusticamente por fazendeiros apaixonados e estes porcos raramente passam do portão. O ponto da carne mostra de fato a experiência do Chef que ainda acrescenta um molho spicy tipo barbecue que harmoniza com perfeição. O purê de batatas ainda deu um toque complementar especial no prato.
Tudo isso acompanhado do Saint-Emilion Grand Cru Classé Château La Marzelle 2005 (90 pts WS). Um vinho de corpo e complexidade que destaca a presença de aromas de café, tabaco e amoras. Possui taninos aveludados e sabores de harmônicos de amora e café, sendo este último bastante persistente. Uma bela escolha para a harmonização com os pratos degustados.